Lições da cozinha pra construção de equipes de alto impacto

IMG_5767.JPG

Na matemática tradicional, 1 + 1 = 2. Porém, em se tratando dos talentos em uma equipe, ou da preparação de um prato, 1 + 1 pode ser menor ou bem maior que dois, dependendo da capacidade de integração dos elementos do conjunto. Assim como no ambiente corporativo, os restaurantes e suas cozinhas são ambientes onde eficiência e criatividade podem gerar resultados surpreendentes. O objetivo deste artigo é compartilhar alguns aprendizados obtidos em nossas experiências inovadoras de treinamento e jogos de negócios de Liderança e Trabalho em Equipe nas empresas, e  conduzidas por uma mestre com um toque todo especial: a chef de cozinha.

03 - chef Andressa organizando a cozinha

Começamos a nossa “receita” com a base de qualquer equipe de alto desempenho: um propósito claro e compartilhado. É fato: quando as pessoas não conhecem o objetivo esperado no trabalho, elas inventam um. Então, imagine se cada membro de sua equipe criar um objetivo distinto, o resultado final tem grandes chances de não ficar “a moda da casa”. Dialogar sobre um propósito comum para todos é o que irá transformar grupos em equipes, pois estas últimas compartilham o tempo e o espaço, mas também o mesmo norte.

9 - time de supervisores cozinhando

Pedido feito e compreendido, é chegado o momento de definir papéis e responsabilidades, deixando claro para cada membro da equipe qual deve ser a sua atuação para o alcance dos objetivos. Cuide apenas para equilibrar os procedimentos e regras de acordo com o gosto do cliente – em excesso podem tornar a equipe muito burocrática, em falta podem tornar caótica a rotina no trabalho.

08 - supervisores cozinhandoEm seguida, tempere o dia a dia do trabalho com pitadas de comunicação assertiva, focada na solução. Em ambientes criativos, mesmo as melhores equipes enfrentarão conflitos, e pessoas capacitadas em ferramentas de negociação não deixarão o prato desandar nos momentos de instabilidade. Uma lição importante dos chefs é priorizar o que é mais importante e urgente, pois nem todo problema deve ser levado a ferro e fogo.

14 - servico de salaoPara concluir, cubra a equipe com feedbacks periódicos, deixando claro o que funcionou e o que pode melhorar. Um bom feedback é dado no momento certo, para a pessoa certa, e com fatos e dados, sem diminuir a moral do colaborador. Uma dica é elogiar em público, entretanto sugere-se recomendar melhorias individualmente, para que ninguém se sinta exposto perante o time. O objetivo do feedback é fazer com que o receptor saia melhor do que antes de recebê-lo. Finalmente, a cereja do bolo é celebrar as conquistas, lembrando sempre de brindar os resultados que certamente sua equipe alcançará praticando essa experiência de construção conjunta. Saúde, bom apetite e vivam seus talentos!

André Luiz Dametto apoia pessoas a transformar vocações em conquistas 

* O artigo contou com a colaboração da chef Andressa Cabral. Fotos de Fabrício Figueiredo

Sobre André Luiz Dametto

Apaixonado por aprender e criar. Às vezes professor e consultor, outras artista ou flâneur, mas livre, sempre..
Esse post foi publicado em Coaching, Comunicação, Educação, Equilíbrio Pessoal e Profissional, Gestão, Pensamentos, Prosperidade, Qualidade de Vida, Saúde, Talento e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s