Nair André Buenos Aires

                                      

 

Atire a primeira pedra quem assistiu ao recente filme Vicky Cristina Barcelona de Woody Allen e não teve vontade de fazer o seu próprio roteiro particular inspirado na obra. Tudo bem que não eh das melhores películas deste cineasta, chega a parecer meio sessão da tarde, mas filme do Woody Allen, sexo e pizza, até ruim, eh bom. Resumindo, trata-se de duas amigas americanas que resolvem curtir as ferias de verão em Barcelona, ou seja, promessa de altas emoções. Enquanto Vicky é uma burguesa típica americana, com aquela educação protocolar que comentei nos posts dos EUA, Cristina eh babado, confusão e algo mais. Louquinha, audaz, e com altas doses de luxúria, ela está pronta pro que der e vier, mais sentimento do que razão. Ou seja, o oposto de Vicky. Cristina eh devidamente interpretada por Scarlet Johanson, menina dos olhos de Allen. Ponto praquela boca e olhar de canto de olho, a-do-ro!

 

Já Barcelona eh daquelas cidades meio Copacabana meio Centro Antigo, onde esbarrar em menos de 30 minutos com o luxo da arquitetura naturalista de Gaudi, prostitutas embriagadas e um prédio gótico com os vitrais mais lindos da sua Vida não será incomum.  Barcelona também eh sinônimo de fervo, ate hj me lembro da noite mais alucicrazy que tive na Espanha, com musica de primeira qualidade e um publico de A a Z. Colocou Ibiza na letra I… já foi seu tempo.

 

Pois bem, aproveitei a viagem pra Buenos Aires com minha mãe pra fazer meu roteiro particular. Depois de um dezembro marcado por família, experiências naturais em Foz do Iguaçu e um Love totalmente inesperado, me aparece Buenos Aires com aquele ar cosmopolita de fazer jus a qualquer Madri, Londres e Nova York da vida. O grande objetivo desta viagem foi “discutir a relação” com minha mãe em um ambiente out of the box, e aproveitando a virada do Ano, posso admitir que fui bem sucedido. É interessante perceber o quanto podemos ser cada vez mais íntimos de quem amamos, e nesta viagem foi um grande encanto conhecer mais sobre o que ela pensa, sente, e vice-versa. Juntos rimos, choramos, criamos, andamos, e como andamos, minha mãe foi parceirona! Que venham as próximas.

 

Buenos Aires é a cidade de melhor custo-beneficio para um viajante que sai daqui do Rio de Janeiro. A 3 horas de avião, você sai do Brasil literalmente, e encontra uma cidade re-che-a-da de atrações, ou arquétipos turísticos como eu prefiro chamar. Lista básica para todo viajante: deixar as malas no hotel, ir almoçar em Puerto Madero, andar por todos aqueles diques, tomar sorvete no Freddo (imenso!), depois voltar pelo Centro Antigo, passando pela Casa Rosada (que tem cor de tijolo), caminhar por uma daquelas avenidas imensas como a Diagonal até chegar ao monumento mais fálico que vc encontrará na sua Vida: o obelisco da 9 de julho. O da Av. Rio Branco não faz nem cócegas… Sente num daqueles barezinhos e peca uma cerveja bem gelada, e agradeça a Vida, ela eh bela! De noite, colocacion, please! Buenos tem uma cidade noturna super agitada: e detalhe, começa a esquentar só 3h. Dia seguinte, Recoleta pela manha, Palermo Hollywood para almoçar, Palermo Soho para fazer compritchas, e ver a noite chegar com o Mojito mais gostoso q já tomei. Na volta dê uma pinta pela Calle Florida e sua deslumbrante Galeria Pacífico, pelo bairro do Retiro. Um soninho de beleza e de repente, 1h da manha: fervo! Taque no Google o estilo de musica + publico q vc curte + noche + Buenos Aires. Se joga!

 

Domingo, feirinha de San Telmo, arquétipo super Rua do Lavradio, so que gigante e um publico menos wanna be. Sei la, pra mim a Rua do Lavradio já foi cult…  Almoce por ali mesmo, e deixe-se levar pelo tango, e aquela arquitetura cheia de fileteados portenhos, aquelas letras super gracinha que decoram placas, carros, roupas e o que mais sua imaginação deixar. Hora de ir para Ezeiza, morrendo em 100 pesos, alias, como tudo esta caro em Buenos Aires. Aproveite para conjugar o Menos eh Mais em todos os tempos, em vez de comprar compulsivamente, sinta mais, respire mais, olhe mais, dance mais, beije mais, ame mais, compartilhe mais…

 

Então, voltar a Buenos Aires foi uma benção: reencontrar minha mãe, resgatá-la, me resgatar, nos resgatar, resgatar projetos, me colocar no bem, no luxo, no glamour, onde eu, você e todo ser humano merece estar! Viva a Elite, todos merecem viver bem. Este começo de ano me inspira curtir o Vazio, e está sendo ótimo, já esta entrando muita coisa boa 😉

 

E aí, vai preferir fazer a Vicky ou a Cristina? E seu roteiro, onde vai ser? Me conta.

 

Bj, André Dametto

Sobre André Luiz Dametto

Apaixonado por aprender e criar. Às vezes professor e consultor, outras artista ou flâneur, mas livre, sempre..
Esse post foi publicado em Comunicação, Minhas histórias e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Nair André Buenos Aires

  1. Nair Dametto disse:

    Olá, André. Nossa viagem a Buenos Aires também poderia virar roteiro de filme, tantas foram nossas caminhadas pela cidade, as surpresas e descobertas em todos os sentidos. Os passeios pelos diferentes bairros eram também uma busca interior, para descobrir o melhor de cada um. Não poderia haver lugar mais adequado que Buenos Aires para vivenciar e ultrapassar o difícil momento que eu estava passando, por conta das surpresas que meu processo trabalhista apresenta. Os ares daquela cidade, civilizada e linda, arejam quaisquer circunstâncias. Você é o melhor companheiro de viagem que alguém pode desejar. Com certeza, vamos fazer muitas outras viagens e realizar projetos juntos. Buenos Aires continua ali, bastante perto, felizmente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s