Você sabe o que é cidadania?

                   

No post anterior eu falei da paixão que tenho pelo trabalho equilibrado, onde aprendemos, criamos e até celebramos a Vida. E tive a dádiva de começar um projeto de estratégia e processos numa das empresas mais interessantes do meu portifólio: a Secretaria de Estado de Direito das Pessoas com Deficiência do Estado de São Paulo. Confesso que quando fui convidado fiquei surpreso, não sabia direito como ia lidar com esta matéria. Achei até estranho o nome da secretaria, logo pensei que a primeira medida seria criar um nome mais ameno para a mesma. Tratei então de ler mais sobre o assunto, conversar com amigos sobre esta causa, e foram várias as lições.

A primeira: entender que a própria pessoa com deficiência prefere ser denominada desta forma. Nada de eufemismos como pessoa especial, pessoa com necessidade especial, pessoa deficiente, ou a pior: portadora de deficiência. Vamos lá, tudo que uma pessoa com deficiência quer é se sentir igual a todo mundo, então por que chamá-la de especial? Necessidade especial também não fica melhor, pois necessidade especial depende muito do referencial de quem observa. Pense bem, todos nós temos alguma necessidade especial… Pessoa deficiente é bem feio mesmo, pois categoriza um rótulo que torna todo o indivíduo um ser deficiente. Portador de deficiência é o pior de todos, pois denota doença, tudo que a deficiência não é. Termos como ceguinho, mongolóide e manquinho então, nem se fala.

Enfim, vocabulário alinhado, vamos ao trabalho. Foram muitas conversas, trabalhos de estratégia são extremamente reflexivos, demandam um equilíbrio muito refinado entre reflexão e ação. Dei a sorte de encontrar muita gente inteligente e boa, um encontro de águas que explica as pessoas mais especiais da humanidade. Com tantos papos interessantes, é claro que rolam muitas catarses, dúvidas, e consegui aprender bastante sobre o mundo da pessoa com deficiência, mas digo mais, aprendi muito sobre o que é a inclusão do indivíduo como um todo, sobre CI-DA-DA-NI-A. Fale a verdade, você já pensou o que é Cidadania? Digo mais, você exige cidadania no seu dia a dia? Se você confessar que não, bem vindo ao clube!

Neste projeto tive consciência do quanto a gente precisa estudar mais sobre nossos direitos, deveres, e assim exercê-los com mais efetividade. Tenho a bênção de sempre ter vivido em ambiente de muita diversidade, mas a investigação não esgota aí: é preciso analisarmos também o quanto nos incluímos (ou excluímos), e o quanto incluímos (ou excluímos) o outro. Neste sentido, a falta de auto-estima já seria o primeiro elemento de falta de Cidadania. Já pensou nisso? Chega a ser pobre falar de incluir o outro se ainda nem nos incluímos. Excesso de auto-afirmação que interfere no ambiente do outro também. Me lembro da sábia frase: a sua liberdade termina onde começa a minha, e vice-versa. Assim, entendo melhor o que vem a ser ética: o quanto nossas ações incluem ou excluem as pessoas na sociedade em que escolhemos viver, inclusive VOCÊ. E aí, se inclui neste conceito?

Abraço inclusivo, e assim cidadão,

André Dametto

Sobre André Luiz Dametto

Apaixonado por aprender e criar. Às vezes professor e consultor, outras artista ou flâneur, mas livre, sempre..
Esse post foi publicado em Brasil, Coaching, Minhas histórias, Pensamentos e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Você sabe o que é cidadania?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s