Pelas ladeiras de Santa

            

Último dia no Rio de Janeiro, aqueles momentos de felicidade, ansiedade, medo e uma infinidade de sensações que nos acometem antes de grandes jornadas. Quis fazer algo que eu realmente amo muito nessa cidade: passear em Santa Teresa. Tempo chuvoso, pela janela fechada do táxi eu prestava atenção em detalhes até então despercebidos: as quinas das casas antigas, os mosaicos dos seus ladrilhos, o equilíbrio caótico dos carros subindo e descendo as ladeiras… E assim eu entendia porque Santa Teresa é um pedaço apaixonante: ele me fazia me sentir em outro Rio, mais humano, mais real, mais alma. Nesse dia também um reencontro, um almoço calmo, vinho, neblina, e isso só confirmava que estava em outro tempo, em outro espaço. Toda viagem é uma pequena morte dentro de nós: algo vai embora, e um novo ressurge, e por isso viajo, para lidar com uma complexidade e sensibilidade que me transbordam, e que talvez somente Santa Teresa tenha compreendido. Um bj, até breve. André Dametto

Sobre André Luiz Dametto

Apaixonado por aprender e criar. Às vezes professor e consultor, outras artista ou flâneur, mas livre, sempre..
Esse post foi publicado em Sei lá. Bookmark o link permanente.

3 respostas para Pelas ladeiras de Santa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s