Sentir: sua Lei Áurea

                                           

Todo mundo lembra daquela aula tatibitate em que a gente aprendia que uma princesa muito caridosa, chamada Princesa Isabel, promulgava uma Lei com um teor mais nobre ainda: a Lei Áurea. Por esta lei, era abolida a escravatura, os negros eram libertados, e assim viveriam felizes para sempre… Ledo engano! Historiadores mostram que a realidade foi um pouco diferente: apesar da liberdade, eram largados na sociedade de forma que não foram inseridos na mesma. Logo se sentiam desencaixados, sem qualquer preparação para conviver numa sociedade que alguns dias antes vivia sob o paradigma da exclusão social e racial. Havia até mesmo aqueles que, então livres, preferiam o status anterior, em que pelo menos eram inseridos na realidade Casa Grande Senzala, tendo alguns até mesmo postos de nobreza.

Pois bem, e o sentir, o que tem a ver com esta história? Assim como a liberdade para os negros escravos, viver REALMENTE o sentir é a maior liberdade que existe para uma pessoa. É na alma, no sentir, que reside a Verdade. A razão também é uma amiga, mas sem consciência é muito traiçoeira, pois nos dá a falsa impressão de lucidez, dada a tamanha quantidade de influências a que somos submetidos no dia a dia: a mídia, a crítica do outro, os paradigmas dos familiares e amigos, e o pior, as nossas próprias ilusões… que um dia resultam em desilusões.

Bem, sendo então o Sentir algo tão positivo, por que esta associação da sua liberdade com a forma com que a Lei Áurea libertou os escravos? Isso é minha percepção de que (re)conhecer a sua alma é muito bom, verdadeiro, mas na sociedade atual em que vivemos isto pode causar o mesmo efeito dos escravos no século XIX: uma sensação de desencaixe, quase de loucura, pois parece que o Mundo não nos que verdadeiros, mas sim profissionais, controlados, morais, enfim, ainda escravos.

Logo, entendo que novamente o EQUILÍBRIO se mostra o caminho das pedras, uma busca serena de reconhecer a cada dia um pouco mais do seu SENTIR, sem deixar a RAZÃO para trás, pois ela já nos ajudou muito, e pode ajudar ainda mais quanto conseguirmos este balanço. Bem, eu faço isso deixando minha racionalidade continuar atuando, mas inserindo gotas diárias de sentir na minha Vida: ouvir uma música sem ficar interpretando tudo, ouvir verdadeiramente o outro em um diálogo, tocar mais o outro com carinho, ter refeições sentindo o sabor da comida, caminhar meio sem destino de vez em quando, enfim!

E você, está pronto para a sua Lei Áurea?

Sobre André Luiz Dametto

Apaixonado por aprender e criar. Às vezes professor e consultor, outras artista ou flâneur, mas livre, sempre..
Esse post foi publicado em Sei lá. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s