Milao: Prego!

                          

Prego! é assim que os italianos se despedem, agradecem, indicam algum endereco, eh ate bonitinho ouvir eles falarem prego a todo momento.

Bem, cheguei em Milao cheio de expectativas, afinal uma cidade conhecida como berco da Moda, do Design e dos negocios na Italia teria tudo a ver com alguns dos meus gostos pessoais. A cidade tem realmente uma cor ocre, como alertou uma amiga. Ocre é aquele tom de marrom antes do beje (sim, ele existe). Essa cor se da devido à mistura das pedras dos predios antigos, da catedral gotica mais linda que eu vi ate hoje, com um ar mezzo poluido estilo Sampa, mais aquelas ruas que parecem saidas de um livro de ficcao envolvendo padres, mafiosos e mulheres chiquerrimas.

Milao eh super darwinista, a impressao que eu tive eh que em uma semana ou vc se adapta ou vc desiste de viver aqui. Tudo eh muito estetico, montado, a moda tornou-se mais que uma industria, é um estilo de Vida, um valor da cultura local. As pessoas andam desfilando, homens, criancinhas, bichos de estimacao, as mulheres entao, as mais bem arrumadas q vi na minha Vida, ainda mais pq estamos no Outono. Até agora nao me sai da cabeça o sapato de uma donna, num couro trançado em forma de bola de futebol, com gomos dourados e acinzentados: um luxo! Ao mesmo tempo achei tudo um pouco fake, senti a falta da vivacidade de Roma, uma cidade mais à vontade, sem muita pretensao.

Bem, a viagem esta chegando ao fim, esta hora era pra eu estar voando, mas pra fechar com chave de ouro a viagem o voo foi cancelado, e remarcado para… 32 horas depois do combinado. Bem, com tantos perrengues, unzinho a mais me aproxima do titulo de PhD em tolerancia, com passagens por Sorbonne, Oxford, e todas as melhores instituicoes europeias. Como presente me dei uma estada num hotel daqueles cheios de regalias, vou ficar aqui curtindo cada segundinho, arrumando a mala, escrevendo as memorias da viagem, e com uma conclusao: o Brasil é muito bom, gente! So depende de nos fazermos dele um lugar melhor ainda pra viver, pois temos no nosso DNA cultural muita vivacidade, criatividade, flexibilidade, senso de humor, beleza espontanea, enfim… estou morrendo de saudades.

Ate o Brasil,

Andre Dametto

Sobre André Luiz Dametto

Apaixonado por aprender e criar. Às vezes professor e consultor, outras artista ou flâneur, mas livre, sempre..
Esse post foi publicado em Sei lá. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s