Pra ficar na memoria… e no saldo bancario

              

Bem, Londres passou como um furacao, rapido e cheio de novidades. Em 72 horas fiz de tudo um pouco: caminhadas, museus, restaurantes, amizades, ate show de strip vale a pena conferir por aqui. O verbo que me vem `a cabeca seria o famoso to strecht. Uma vinda pra esta cidade nao pode passar inc’olume.

Primeira coisa: escolha dois ou tr^es museus, porque se voce cair no afa de visitar todos vai apenas consumir arte, e nao aprecia-la, que ‘e o gosto de identificar-se em uma tela, de fazer parte de uma instalacao. Se vc curte muito arte moderna recomendo fortemente o Tate Museum. Se o lance ‘e arte classica uma visita ao National Gallery ‘e o must do. Tambem recomendo fortemente um passeio no London Eye, aquela roda gigante imensa com direito a selo da British Airlines. Eles fazem questao de tratar vc como se estivesse num voo, com direito a check in e tudo.Tambem visite a London Tower, ande pelas ruas em Picadilly ‘a noite, e va dancar num clube descolado da cidade, nada de fazer a linha pacata nesta cidade.

Algo que eu fiquei chocado ‘e que apesar de um pound equivaler a quatro reais, tem muita coisa q vale a pena comprar por aqui, principalmente roupa. A fama de cidade mais cara do mundo se justifica na hora dos transportes e acomodacoes. Se hospedar num bom hotel com direito aquele jantar regado a bom vinho pode custar todo o seu salario do mes. Definitivamente, faca como eu, fique em um bed and breakfast e va curtir a cidade com os passes de onibus, comprando em escala da pra conseguir bons descontos.

Algo que aprendi ‘e que numa viagem mochilao nao se deve trazer muita coisa, no maximo dez quilos. Eu tive a infeliz ideia de vir com a Olga, minha mala de estimacao que parece um freezer de tao grande. Caramba, tem horas q da uma vontade de abandonar a Olga na Europa, quem sabe ela nao constroi uma familia por aqui, mas eu trouxe muita coisa, fiz besteira. Deixe pra comprar coisas nos locais onde vc vai, vc pode ter gratas surpresas como as que tive em Londres.

Em relacao a fama de mal humorado no ingles eu vou discordar completamente. Eles sao eh praticos, diretos, nesse sentido eu tb devo ser super mal humorado. Quem eu achei muito mal educado e grosso foram os imigrantes, principalmente os indianos e arabes. Eles nao secos, rispidos, ironicos, como se tivessem muita raiva de ver outro "colonizado" fazendo turismo. Nessas horas count to ten, nao vale a pena entrar em discussoes historicas e filosoficas em filas de lanchonete, porta de onibus and so on.

Resumindo, Londres ‘e um choque necessario pra todo cidadao que queira seu titulo de globe trotter. Eu, Andre, nao moraria aqui, no maximo estudaria e picaria minha mula. Apesar de rapida, moderna e pratica, Londres cheira a pounds a todo momento, e isso estressa de vez em qdo. Nesse sentindo o meu Rio de Janeiro ganha mais um ponto, ‘e nele onde eu trabalho, me divirto e me sinto menos… um cartao de credito.

Rumo a Amsterdam, see you.

Bjs, Andre

Sobre André Luiz Dametto

Apaixonado por aprender e criar. Às vezes professor e consultor, outras artista ou flâneur, mas livre, sempre..
Esse post foi publicado em Sei lá. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Pra ficar na memoria… e no saldo bancario

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s