Explorar o turismo, e nao o turista…

                                           

Realmente a Europa é linda, cada canto em que eu passo é sinônimo de encantamento como cito em outros posts. Mas como tudo na Vida, nem tudo sao flores. Primeiro vou confessar que no oitavo dia de "perrenge mochileiro", sinto um certo cansaço pelos vai-vens de aeroportos, metrôs, albergues. Cheguei ontem em Barcelona, o mapa da cidade e as linhas de metrô se assemelham â complexidade da arquitetura de Gaudi. É tudo muito complexo, gente! Vai ver que no Brasil a gente é que facilita mesmo as coisas, enfim, prós e contras. Dentro dessa linha vamos comparar, percebi algo que me faz confirmar a teoria que a dualidade bem e mal convive dentro de cada ser humano. Nós brasileiros que costumamos ser muito duros conosco, taxando-nos de espertinhos, malandros, e outros adjetivos nao tao simpáticos, trago-lhes a notícia de aqui na Europa, especificamente na Espanha estou tomando uma surra de esperteza, Explico: eles sabem literalmente explorar o turismo, mas também o turista. Eu sinto que estou sempre â beira de entrar em alguma armadilha, pois o preço final pago na programaçao, comida, local etc nunca é aquele vendido inicialmente. Vários exemplos: fui eu fazer uma hidrataçao no cabelo, o que na tabela estava a 2,99 euros. Quando veio a conta: 8,99 euros. Afinal eles tinham lavado o cabelo antes e passado gel ao final… Enfim, problemas de comunicaçao, eles nem pra avisar que cada etapa do processo tinha um preco… sendo que passar uma camada de gel era uma etapa do processo… Mierda! Outra cena: fico eu igual um faminto buscando restaurantes aqui em Barcelona. Você hega a ficar irritado de ver tanta confeitaria e pé-sujo, mas aquele quilo simpático, tipo Kilograma q vc vê em cada canto no Rio, isso nao existe, gente! Aí encontro eu um lugar risonho, simpatico seria dizer demais. 7,96 euros por uma entrada, um principal e um postre… No início tudo parece muito chique. Mas a entrada é do tamanho de um pires, o principal idem e o postre é uma amostra grátis de sorvete. Ah, e a conta vem 10 euros pois eu sentei na varanda externa… Novamente, problemas de comunicaçao, ninguem me avisou que sentar fora do bar custa mais. Terceira situacao: eu trigueiro no night club que entrei de graça (até que enfim uma notícia boa, mas é que conhecendo as pessoas certas a gente ganha flyers pra qq lugar por aqui), achava q estava dominando a cidade, q meu DNA carioca enfim estava fazendo efeito. Peço a mesma bebida que anteriormente tinha pago 6 euros (é bom evitar contas de conversao se nao se deixa de curtir a viagem). Quando vem a conta, 9 euros. É que depois de 1h30min da manha tudo aumenta. Enfim, gente. Vou terminar correndo esse post porquê daqui a pouco começam a debitar 1 euro por cada segundo, estou aprendendo na marra o que sao questoes culturais, e principalmente de comunicaćao. Fica também uma liçao: brasileiro pode até pode ter fama de espertalhao, mas quem sabe fazer a coisa direitinho sao os caras aqui, e há séculos minha gente, nao é a tôa que os colonizados somos nós, e desde entao a conta ficou injusta para nós. Viva o povo brasileiro! Depois de um momento amargo deixem-me voltar para o savoir vivre, pois ratifico: na Vida tudo nem seu lado bom e o lado ruim, o segredo é sempre enxergar os dois lados da Vida, ser crítico com o ruim, mas buscar curtir o lado bom! Abs, André Dametto

Sobre André Luiz Dametto

Apaixonado por aprender e criar. Às vezes professor e consultor, outras artista ou flâneur, mas livre, sempre..
Esse post foi publicado em Sei lá. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s