Elite

                                                           

Ontem estive num evento bem gostoso do caderno Rio Show do Globo. É um festival gastronômico que o jornal realiza no MAM, e como estava aqui pertinho fui dar uma conferida. Apesar de o evento ser gratuito, o que torna o mesmo super democrático, eu me senti no Fashion Mall. Isso me fez refletir um pouco sobre o que é o bem viver, o conceito de elitização, e a elegia que faço ao belo, ao bom e ao justo. 

Eu que não nasci em berço de ouro e desde cedo ralo para ascender na Vida, hoje até sou taxado como elitista. Mas se ser elitista é querer viver o lado bom da Vida, comer bem, se vestir bem, ter bons relacionamentos, quero mais é ser Elite sim! Nada explica o prazer de um bom vinho, uma boa leitura, uma viagem para uma localidade desconhecida, ou o encontro furtivo com outra pessoa interessante.

Outro dia li uma entrevista bacana da ministra do Meio Ambiente, a Marina Silva. Segundo ela, o problema do Brasil não é a elite, o problema do Brasil é a falta dela. A elite pensa estrategicamente, pensa no longo prazo, a elite é capaz de fazer concessões pensando nos seus investimentos de longo prazo.

E é isso que eu prego quando vou aos quatro cantos deste Brasil falando de Coaching, Desenvolvimento Humano, Solução de Problemas, Consultoria, Engenharia de Produção e afins. Eu quero mais é a democratização da Elite. Os economistas com suas teorias sabiamente justificarão que para haver o rico tem que haver o pobre. Mas aí não estamos falando de elite, e sim de oligarquia burra, ou como disse a cronista Monica Medeiros, os ricos-pobres. No seu texto, com referências ao publicitário Washington Olivetto, ela diz que há no mundo os ricos-ricos (os que têm dinheiro e têm cultura); os pobres-ricos (que não têm dinheiro mas são agitadores intelectuais, possuem antenas que captam boas e novas idéias) e os ricos-pobres,que são a pior espécie: têm dinheiro mas não gastam um único tostão da sua fortuna em livrarias ,museus ou galerias de arte, apenas torram em futilidades e propagam a ignorância e a grosseria.

Ser Elite é ser rico no segundo sentido, não estamos falando de grana, mas sim de cultura, de boa cabeça. E meu caro, minha cara, quando você os possui, o retorno financeiro é uma questão de tempo. Uma boa idéia seguida de boas crenças e bom planejamento podem levar você para onde quiser. Convido você a refletir sobre isso: até que ponto sua riqueza não está na cabeça, em vez da sua carteira? O evento gratuito de Gastronomia está aí pra mostrar: viver bem, experimentar boa comida, bom papo e experiências engrandecedoras não depende de ter grana na carteira, mas apenas boa idéia na cuca.

Pra me despedir deixo duas frases que têm tudo a ver com este post, uma frase magnífica do Ghandi e outra antológica de Fernando Pessoa:

"A Terra tem o suficiente para todas as nossas necessidades; mas somente o necessário" (Gandhi)

"Tudo vale a pena quando a alma não é pequena." — Fernando Pessoa

E viva a Elite, rica-rica ou pobre-rica!

André Dametto

Sobre André Luiz Dametto

Apaixonado por aprender e criar. Às vezes professor e consultor, outras artista ou flâneur, mas livre, sempre..
Esse post foi publicado em Brasil, Pensamentos, Prosperidade e marcado , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s